Família faz vaquinha para pagar tratamento de coletor de lixo que ficou acamado após acidente com caminhão - A Voz da Região

Agora

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Família faz vaquinha para pagar tratamento de coletor de lixo que ficou acamado após acidente com caminhão

Segundo matéria do portal G1 uma família de Araçoiaba da Serra (SP) pede ajuda para cuidar de um homem de 40 anos que sofreu um acidente de trabalho em julho de 2021 e ficou tetraplégico. Ele era coletor de lixo e foi atropelado pelo caminhão da coleta depois de escorregar de cima do veículo, que estava dando marcha à ré.

Rodrigo José de Almeida, de 40 anos, está internado no Hospital Evangélico, em Sorocaba (SP), esperando o serviço de home care (equipamentos hospitalares para cuidado domiciliar) para voltar para casa.

Ao g1, a esposa dele, Gislene Ambrósio de Almeida, conta que a família entrou com um processo na Justiça para conseguir esse serviço, pois não é barato. Segundo ela, o Governo do Estado disse que a responsabilidade é do município e que eles aguardam uma resposta da Prefeitura de Araçoiaba da Serra.

"Ele era estatutário, concursado, estava trabalhando e, infelizmente, quanto mais tempo ele fica lá [no hospital], mais risco de vida ele corre, inclusive já pegou várias bactérias", diz.

De acordo com Gislene, os itens necessários para o cuidado em casa custam de R$ 80 mil a R$ 100 mil. Além de precisar de uma enfermeira 24 horas, Rodrigo também necessita de respirador, aspirador portátil, cama hospitalar, colchão pneumático, bomba de dieta, suporte de soro, aparelho de inalação, traqueia de inalação, cadeira de banho, cadeira de rodas e suporte de oxigênio.

"Imagina não conseguir fazer coisas simples como tomar seu próprio copo de água. O Rodrigo se encontra nessa situação. Levando para casa, ele vai ter uma melhor qualidade de vida, mesmo nessa situação", conta emocionada.

Enquanto espera uma resposta das autoridades, a família está aceitando doações de itens e também está com uma vaquinha online para conseguir arrecadar dinheiro para arcar com as despesas.

"Nesses dez meses da nossa luta, a nossa meta sempre foi essa: levar o Rodrigo para casa. Espero conseguir essa ajuda. Tem sido muito difícil para a família, para as filhas."

Respostas

Ao g1, o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Sorocaba informou que não há demanda pendente ao estado em nome do paciente, e que a porta de entrada para a solicitação do caso é por meio da assistência social do município de origem.

A reportagem também questionou a prefeitura sobre o caso, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();