Saiba o que diz a família e o rapaz que acordou com a barriga aberta, sem parte do intestino - A Voz da Região

Agora

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2022

Saiba o que diz a família e o rapaz que acordou com a barriga aberta, sem parte do intestino

As famílias do jovem de 20 anos encontrado com um corte profundo na barriga na praia do Ermitão, em Guarapari, e da jovem que estava junto com ele, afirmam que o casal participava de um luau quando foi vítima de uma "ação criminosa e violenta praticada por terceiros". As informações são do Portal G1.

As informações foram divulgadas na tarde desta segunda-feira (31) por meio de uma nota enviada pelo advogado das famílias, Lécio Machado. No texto, os familiares dizem que os autores do crime ainda são desconhecidos. A pedido das famílias, a identidade dos jovens não será revelada.

O caso aconteceu no dia 16 de janeiro, mas neste fim de semana ganhou as redes sociais, sendo um dos assuntos mais comentados desde o domingo (30).

Mochila, cacos de vidro e pedaços de órgão foram achados por PM

Na tarde desta segunda-feira, o major Lourencini, da Polícia Militar, deu mais detalhes sobre o que os policiais encontraram no momento em que atenderam à ocorrência.

Segundo ele, quando a equipe chegou ao local, o rapaz já havia sido socorrido e não estava mais lá. De acordo com o boletim da ocorrência, era possível ver parte do intestino do rapaz.

"Foram encontrados no local algumas poucas marcas de sangue, uma mochila com os pertences e cacos de vidro, garrafa quebrada no local, alguns pequenos órgãos também espalhados no local ali", disse ele. O material foi entregue à Polícia Civil para serem analisados.

No início da manhã, já em contato com a Polícia Civil, os militares descobriram que o jovem ferido havia sido levado para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória. Depois, ele foi transferido para um hospital particular.

Segundo a Polícia Civil, durante a semana, as famílias de ambos os jovens vão prestar depoimento. Somente um dos vigilantes do parque, que estava trabalhando no momento, foi ouvido.

A jovem ainda está abalada psicologicamente. Ela ainda não falou, mas a expectativa é que ela preste depoimento esta semana. O rapaz ainda está internado.


Íntegra da nota da família

"Considerando a grande repercussão social e o elevado número de especulações fantasiosas lamentavelmente divulgadas sobre o triste fato ocorrido com um jovem casal, no último dia 16 de janeiro de 2022, na Praia do Ermitão, no município de Guarapari-ES, as famílias envolvidas no caso resolveram em conjunto vir a público, através do seu advogado, Dr. Lécio Machado, sócio do escritório Silveira, Garcia & Machado Advocacia Especializada, para esclarecer que os seus filhos foram vítimas de uma ação criminosa e violenta praticada por terceiros ainda desconhecidos, durante um lual que realizavam à dois naquela data e localidade.

Compreensivelmente, as famílias dos jovens, em comum acordo, preferiram manter, até o momento, os fatos sob sigilo, com o único objetivo de preservar a identidade das vítimas e garantir à elas um ambiente adequado para a necessária recomposição emocional e física, dado que inegavelmente sofreram demasiada violência física e psicológica ao serem vítimas do crime, agora tornado público.

O casal tem recebido todo o atendimento médico-hospitalar necessário e encontra-se em pleno processo de recuperação. Confiamos nas investigações promovidas pela 5ªDelegacia Regional de Polícia Civil de Guarapari e esperamos que os responsáveis pelo crime sejam encontrados e punidos".

Praia secreta

A praia do Ermitão está localizada no final da Praia do Morro e é conhecida por ser uma praia secreta. Só é possível chegar até ela por meio da entrada e acesso do parque Morro da Pescaria, que funciona das 7h às 16h. Outra possibilidade é passar pelas pedras na beira do mar.

De acordo com a PM, na madrugada, a entrada do parque fica fechada.

"Os jovens teriam que ter passado pelas pedras ou pelo meio da mata para acessar a praia do Ermitão, o que para jovens não é tão difícil de se fazer. Às vezes no verão a cidade tem muitas pessoas, é possível que aconteça, apesar de não ser permitido, disse o major Lourencini.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();