Polícia faz força-tarefa para prender Novo Lázaro, acusado de matar esposa grávida, enteada de 2 anos e um fazendeiro - A Voz da Região

Agora

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Polícia faz força-tarefa para prender Novo Lázaro, acusado de matar esposa grávida, enteada de 2 anos e um fazendeiro

Um grupo com pelo menos 70 policiais se concentra nas buscas de um procuro na cidade de Abadiânia (GO). Wanderson Mota Protácio, que vem sendo comparado a Lázaro, que passou semanas foragido depois de inúmeros crime e com uma força-tarefa em sua captura, é apontado como o autor dos assassinatos da própria mulher, que estava grávida de 4 meses, da enteada de 2 anos e 9 meses, e de um fazendeiro.

A mulher do fazendeiro contou à polícia que Wanderson era conhecido da família. Segundo o G1, o suspeito chegou à propriedade, entrou, conversou com a vítima, tomou refrigerante, sacou a arma e deu um tiro.

De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher tentou correr mas Protácio a derrubou, bateu em seu rosto e tentou estuprá-la. Sem conseguir consumar o estupro, o suspeito atirou contra a mulher. Ela se fingiu de morta e esperou Protácio fugir na caminhonete.

De acordo com informações publicadas no Jornal Metrópoles, Wanderson furtou o revólver calibre .38 do chefe, após matar a enteada e a mulher com golpes de faca. O caseiro teria aproveitado um período em que o patrão estava longe da propriedade para revirar a casa e encontrar a arma.

Wanderson teria pedido ajuda ao patrão, dizendo que a esposa estaria passando mal. Mas o caseiro aproveitou a distração para furtar a arma e ir até a propriedade vizinha de Roberto. O seu chefe, Clementino não fazia ideia do que estava acontecendo. Só teve conhecimento dos fatos depois, quando a polícia chegou no local.

Segundo familiares das vítimas, que reconheceram os corpos de mãe e filha, Wanderson teria degolado e esfaqueado a barriga de Raniere Aranha Figueiró, 19. A enteada dele, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2, também foi morta a facadas.

“Ele maltratou elas demais”, disse a tia de Raniere, Helena Aparecida Figueiró. Sem conseguir conter as lágrimas, a mulher relata o estado de Geysa. “Tinha um ferimento de faca embaixo do queixinho e outro abaixo do peito”, detalhou.

O criminoso é natural do Maranhão e já tem passagem pela polícia; ele teria tentado matar uma companheira também a facadas, em 2019, e já estava solto desde março deste ano para responder em liberdade. Ele teria vindo para o Goiás após ter arrumado confusão em outros estados, como Maranhão e Minas Gerais. “É um cara do crime mesmo. As vezes faz uso de drogas, mas é conhecido na região por furtar coisas e fazer coisa errada.”, explica o delegado.

De acordo com pessoas próximas a ele, durante as coberturas do caso Lázaro, em junho deste ano, Wanderson acompanhava e demonstrava admiração pelo criminoso que foi morto ao ser capturado pela polícia após semanas intensas de busca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias relacionadas